11 de maio de 2011

Adolescência, uma fase difícil?


Muitas pessoas vêem a adolescência como a fase mais difícil da vida. Pais, estudiosos, lideres e até mesmo os próprios adolescentes acham que esse período é a fase da vida em que as crises e confusões, questionamentos, duvidas, curiosidades surgem.

De fato, adolescência é um período da vida de turbulências, mas que passa. É uma passagem curta, difícil, mas também cheia de aventuras e tempos inesquecíveis. São mais ou menos sete anos para viver os dias mais intensos da vida. Essa é a fase mais importante da vida, pois é nesse período que tomamos decisões que influenciam o resto da nossa vida. E nesse tempo é que acontece “quase tudo”.

Acontecem as mudanças do corpo e se perde o corpo infantil. Essas mudanças acabam despertando naturalmente o interesse pelo conhecimento do corpo. E também o interesse pelo sexo oposto. Além disso, algumas famílias começam a viver um período mais difícil, na qual antes os pais eram tudo, agora os amigos e outras pessoas se tornam as pessoas mais importantes. Muitos adolescentes se distanciam dos pais e começam achar que já se sabem de tudo, que os pais estão querendo se intrometer na vida deles, e que as decisões agora são deles.

Durante esta etapa da vida é comum ocorrer, um apego exagerado aos os amigos e pessoas que servem como modelos de identificação. Outra característica típica dessa fase é a inconstância e intensidade. Atitudes como comer demais ou dormir demais são muito comuns. Tudo é intenso.  Os altos e baixos na vida deles são muito comuns, tanto quanto o apego e o desinteresse pelas as coisas e as pessoas.

Então o que fazer? Como reagir a algumas atitudes? Será não devo corrigi-los pelo que estão passando? O que preciso para poder ajudá-los?

É importante dizer antes de responder essas perguntas e outras que surgem que muitas atitudes que os adolescentes têm e que geram tantos conflitos são na verdade o resultado da forma na qual foram ensinados por seus pais quando eram crianças, como por exemplo, o limite, o respeito e obediência. Muitos conflitos que não acontecem na infância devido a má educação dada pelos pais, aparecem na adolescência. Portanto, os problemas que acontecem na infância não têm nada a ver com adolescência.

Depois de considerar essas coisas citadas acima. Posso dizer que conviver com o adolescente, não é viver com um monstro, como alguns acham. Mas é saber que durante sete anos ou mais eles estarão vivendo com mudanças e que por isso é necessário conhecer sobre essas alterações, ser atento a tudo que os envolve e conversar sobre todos os assuntos á luz a palavra de Deus.

Quero concluir dizendo que viver a adolescência não é poder fazer as coisas por causa da fase. Mas é poder ser alguém que apesar de tantas mudanças consegue ser uma pessoa normal. E que pode se viver bem e passar por essa fase vivendo de uma maneira maravilhosa.

2 comentários:

  1. Muitas pessoas vêem os adolescêntes como um problemas a ser resolvido, justamente porque não os entendem e ignoram essa fase no sentido da busca de informações, enfim só terá mudança quando "reciclarmos" nossas mentes, "mas graças a Deus que a igreja brasileira esta acordando nesse sentido, é várias redes de adolescentes surgindo"(até rimou,isso dá uma música hein!!!)pelo país afora. Valeu Pr.Bruno, que Deus continue te inspirando e com isso nós aprendemos cada vez mais. Fiquem na benção.
    Jéferson Canto - IBF de Guaíba/RS

    ResponderExcluir
  2. Benção!!!! temos que sempre profetizar vida de Deus para essa galera cheia de desafios a serem vencidos no poder do Espírito Santo.
    Pra Adri Ministério Vivendo em Cristo- RJ

    ResponderExcluir