28 de junho de 2011

Rute, um CARÁTER acima da média


Texto Bíblico: A história de Rute

Introdução:

Quem nunca viu em um convite de casamento o trecho desse versículo: ”...aonde quer que fores irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.” (Rute 1:16). Foi Rute que falou isso, se você não sabe. Ela foi “a cara” e Deus enviou para ela Boaz que também era o ”cara”. Preste atenção e, se você nunca leu o livro de Rute, aí esta uma grande oportunidade não só de ler, mas também de estudá-lo.

Desenvolvimento:
Rute é a personagem principal e o livro leva o seu próprio nome Ela era uma moabita que viveu no tempo dos juizes. Você sabe de onde vem o povo moabita? Bem, vamos dar uma voltiha na história e depois voltamos para Rute. Bem, o povo moabita vem de Ló, que teve um filho chamado Moabe, em uma relação com sua filha mais velha.

Nos dias de Juizes, Eglom, rei de Moabe, invadiu terras Israelitas até Jericó e oprimiram Israel por dezoito anos. Eúde, o benjamita, o matou (Jz 3:13 – 30). Elimeleque migrou de Belém para Moabe por causa de uma época de fome e seus filhos (Malom e Quiliom) casaram com mulheres moabitas, Órfã e Rute.

Voltando a Rute, então ela se casou com Malom. Passaram-se alguns anos e Elimeleque morre, deixando Noemi viúva e, para piorar a situação, não só Noemi ficou viúva, mas também Rute e Órfã, pois seus maridos também faleceram sem deixar herdeiros, ou seja, essas três mulheres estavam desamparadas. Imagine você nessa situação, o que você faria? O que pensaria? Qual seria a sua atitude?

Noemi, então, resolve voltar à sua terra, porém Rute e Órfã não queriam deixá-la. Noemi insiste para que elas fiquem, Órfã se vai, porém, Rute diz que não iria deixá-la, e aí vem o versículo tão famoso que citei acima, na introdução. O mais bonito disso tudo é que Rute quer a nacionalidade de Noemi e o seu Deus também. E a única coisa que iriam separá-las seria a morte.

A primeira coisa que podemos aprender com Rute é sua lealdade. Ela foi sincera, honesta e franca com Noemi e foi fiel com seus compromissos referentes a Noemi. Ser leal é uma virtude; será que você adolescente tem sido leal a seus pais, amigos e líderes? Será que você não tem faltado com nenhum compromisso? Isso realmente é sério, antes mesmo de assumi-los temos que pensar se seremos fiéis até o fim. Muitas vezes temos, o costume de assumir coisas e sabemos que não somos capazes de cumpri-los e já pensamos: “eu vou dar um ‘migué’ e vai dar tudo certo!” Temos que ser capazes de assumir que não damos conta; esse não é um problema, mas sim de não cumprir o combinado.

Após Rute ter afirmado que ficaria com Noemi, elas foram para Belém e estava na época da sega da cevada e Noemi tinha um parente, Boaz, que tinha  campos de cevada e Rute diz a Noemi que ia apanhar espigas. Ela foi justamente no campo de Boaz que a notou e lhe deu proteção. Em reconhecimento de que ele fez isso? Justamente por sua lealdade a sua sogra Noemi. Boaz convida, então, Rute a comer junto com seus servos e foram dadas ordens a eles que era para deixar espigas caídas para ela; assim, ela foi favorecida por Boaz por toda a colheita de cevada e trigo. Como Boaz era um bom homem, não é mesmo? Ajudou à Rute.

Também temos algumas coisas para aprender com Boaz. Ele tinha um coração de servo, mesmo ele sendo o dono dos campos, ele favoreceu a uma estrangeira, mas ele reconhecia que Rute era uma mulher especial e não só pensou nela, como também na sua parente Noemi. Será que você tem ajudado as pessoas à sua volta? Seja quem elas forem. Não pense o que a pessoa fará com a sua ajuda, mas pense que um dia Deus irá lhe cobrar essa ajuda, como se fosse ele próprio o necessitado. Quando toda a colheita já havia sido efetuada, Noemi dá algumas instruções à Rute para reivindicar a proteção de Boaz. Ela sabia que ele era um verdadeiro cavalheiro.

Aqui temos duas coisas a aprender: primeiro a obediência de Rute à Noemi, ela não questionou mas seguiu as ordens de Noemi. Será que você, adolescente, tem sido obediente a Deus, a seus pais, a seus líderes e a seus professores? Obedecer às vezes não é fácil, mas a vida é uma escolha e você tem a escolha de acertar ou errar. Então não perca a oportunidade de poder ser chamado de um adolescente obediente.

A segunda coisa que podemos aprender é o cavalheirismo de Boaz. Essa lição é para vocês meninos, não deixem de ser gentis. Verdadeiros homens são gentis, dão lugares nos ônibus para as mulheres, carregam as coisas pesadas, as acompanham nos pontos de ônibus, ajudam suas mães e irmãs nas tarefas de casa, abrem a porta do carro. Puxar a cadeira para assentar não é nada antiquado ou brega, nem ser educado ao falar e agir. Essas atitudes não vão deixar vocês mais homens nem menos homens. Agora, vocês meninas devem estar pensando isso mesmo: fala Deus, não é mesmo? Ah, mas vocês também têm algo a aprender aqui. Rute era uma mulher discreta e singela, não era uma mulher pidona. Ela sabia quando agir e entrar; ela esperou que o próprio Boaz a chamasse para apanhar as coisas no campo. E tem outro lado, tem meninas que não sabem receber os cavalheiros, recusam quando os meninos se propõem a ajudar. Vocês estão erradas! Eles são canais das benção de Deus nas nossas vidas.

Então Rute vai à tenda de Boaz e dorme aos pés dele e pela manhã ele a envia para sua casa com seis medidas de cevada e com o compromisso de que, se o parente dela mais chegado não a resgatasse, ou seja, casasse com ela, Boaz se casaria, conforme a lei daquela época. Que homem sábio e obediente, cumpridor das leis. As leis e regras são boas, mas às vezes as vemos com um olhar negativo. Elas vêm para nos abençoar, porém, logicamente, temos o direito de saber por que elas existem e para que, não por rebeldia, mas com um coração que quer obedecer e entender como se faz para obedecê-las.

Tomado dez anciões da cidade como testemunhas, Boaz apelou para o parente mais chegado de Noemi que redimisse um terreno que pertencera a Elimeleque, e que era uma possessão que não devia mudar de família proprietária. A isso, Boaz se apresentou adicionalmente a obrigação de casar-se com Rute, conforme a lei. Mas o parente mais chegado não podia fazê-lo e renunciou de tal direito, em favor de Boaz.
           
Bem, Boaz não iria perder essa oportunidade de se casar com uma mulher virtuosa como Rute era e, com certeza, se ela foi leal à Noemi, seria leal a Boaz. E Rute não recusou, pois depois de tudo que Boaz tinha feito, ela sabia que ele tinha um coração reto e íntegro e servia ao verdadeiro Deus.

Conclusão
Rute finalmente se casou com Boaz, e o primeiro filho do casal, Obede, foi dado a Noemi para que continuassem os nomes de Elimeleque, Malom e Quiliom. Viu onde a lealdade e obediência de Rute, a sabedoria de Noemi, e o bom coração de Boaz os levaram? A perpetuação da família de Elimeleque e Obede chegou a ser avô de Davi.

Busque ser um adolescente leal e obediente. Meninos, sejam gentis e meninas, saibam aceitar a benção de Deus, sem deixarem de ser virtuosas.

5 comentários:

  1. Muito bom esse POST. foi muito Edificante e Inspirador.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse também PR.Bruno.Rute,um caráter acima da media!É uma historia bem interessante!

    /Rafaela 12Anos da Rede de Adolescentes!/

    ResponderExcluir
  3. INTERESSANTE, UMA MANEIRA DESCONTRAÍDA PARA TRABALHAR O TEMA COM ADOLESCENTES.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pr. Bruno, este blog é uma benção e tem contribuído também com os adolescentes em minha Igreja no Rio de Janeiro. Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom este texto, vou enviar para os meus adolescentes!

    ResponderExcluir