24 de agosto de 2011

Socorro: Tem Adolescente precisando de ajuda!!!


Quero começar este texto mostrando uma realidade do mundo em que vivemos. São dados importantes que fazem qualquer líder, pastor ou pai enxergar os adolescentes de hoje com outros olhos. Segundo o site noticias.uol.com.br, uma reportagem feita no dia 25 de fevereiro de 2011 constata que, em 2009, em todo o mundo, havia 1,2 bilhões de adolescentes de 10 a 19 anos e, no Brasil, cerca de 21  milhões de adolescentes. Além disso, o site consuladosocial.com.br afirma que este número passará a  27,2 milhões de adolescentes no ano de 2015, o que significa que 13,5% da população brasileira será adolescente.

Diante de todos estes números, é inegável que nosso país é jovem e que temos no mundo um número expressivo de adolescentes.  Em cada cidade, seja ela pequena ou grande, existem milhares de adolescentes. Todos, independentemente do lugar onde vivem, têm muitas características semelhantes, apesar de apresentarem algumas especificidades provenientes do convívio com a população regional em que estão inseridos. É fato também que, a cada dia que passa, ouvem-se noticias de muitos que se envolvem com drogas, brigas, confusão, sexo, gravidez, pornografias, vícios, rebeldia, morte, gangues, pedofilia, abuso, uso excessivo da internet, etc.

Enquanto muitas igrejas e lideres estão parados, as empresas de consumo e a mídia descobriram que existe um grupo na sociedade que tem necessidades especificas e que são ótimos consumidores. Segundo uma pesquisa feita pela The Future Report Teens, o consumo teen deve movimentar cerca de 208,7 bilhões de dólares em todo mundo somente neste ano.  Nunca se investiu tanto nos adolescentes, seja através das músicas, bandas com estilos próprios, programas de TV (séries, bate papo, reality show e novelas), a Internet (através das redes sócias), a moda, os celulares, festas que são próprias para a idade, e outras coisas mais. A busca por mais adolescentes consumistas é incansável.  

O diabo, sabendo disso há muito tempo, tem levantado pessoas neste meio que possam usar todo este investimento como uma forma de influenciar a mentalidade e estimular o que ainda não foi despertado. A idéia do inimigo é que os adolescentes não creiam em Deus e que as coisas que fazem e pensam como o consumismo, idolatria, vaidade, rebeldia, o sexo livre e tantas outras coisas, os levem cada vez para mais longe de Deus.

As conseqüências dessas estratégias é que os adolescentes sejam adultos que não queiram servir a Cristo como Senhor e Salvador, totalmente descompromissados com os princípios cristãos e a família, que são bases para uma sociedade equilibrada e sadia. Além disso, serão jovens secularizados crentes no engano de que não precisam de Deus.  Essa realidade já tem acontecido em alguns países, como Holanda, Estados Unidos e Inglaterra, que um dia já tiveram seus princípios respaldados na Palavra de Deus.

A igreja precisa se preocupar com os adolescentes, pois o mundo e o diabo já enxergaram o potencial que eles são. É inútil somente pregar contra tais coisas, haja vista a forte e diária influência que lhes envolve e pressiona. É necessário enxergar o fato de que estes garotos e garotas estão sedentos, esperando por alguém que se interesse por eles e que, através do relacionamento, demonstre e fale do amor de Cristo. 

A igreja de Cristo, principalmente a liderança deve começar a abrir os “olhos” e se preocupar, verdadeiramente, com os adolescentes e tudo o que os tem envolvido ao invés de simplesmente ignorar suas reais necessidades, rebaixando-os à simples condição geral de “aborrecentes”. Torna-se primordial entender que os adolescentes são muito importantes.

Finalmente, a visão proposta para as igrejas e líderes é dar importância para o adolescente na igreja, o que dará a eles não somente um espaço físico dentro da igreja, mas também de importância e preocupação.  Sob esta perspectiva as igrejas terão, com certeza, adolescentes mais atuantes na obra do Senhor, visto que estes não serão apenas indivíduos perdidos em meio a outros contextos de faixa etária, mas sim serão tratados e acompanhados considerando as necessidades referentes à sua idade, sobretudo, à luz da Palavra de Deus.

Um comentário:

  1. Eu fui um adolescente bem perdidão mesmo, com tudo que tem direito. Mas algo lá no fundo do meu ser continuava sentindo uma necessidade de Deus. Não tendo mais para onde ir, fui a igreja e entreguei minha vida varias vezes no altar do Senhor, aceitei a Jesus com 19 anos e graças a Deus hoje sou pastor da Igreja de Cristo em Camaçari-Ba.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir

O que achou do tema? Comente!