11 de janeiro de 2012

O ENGANO DA " BOLHA DE PROTEÇÃO"


Todos nós sabemos que o mundo vai de mal a pior. E que, como diz a Bíblia em I João 5:19b: “O mundo está no malígno”. A cada dia que passa as notícias, as histórias, os perigos, os problemas, a “sujeira” é cada vez maior. Nunca se viu na história da humanidade tanto pecado, maldade e como as pessoas tratam o pecado como algo normal.

Com isso, muitos pais e líderes têm a tendência de querer que aqueles que estão ao redor sejam protegidos. Esse tipo de pensamento é até normal. O problema são os exageros dessa “proteção”. Muitos acabam criando uma espécie de “bolha de proteção”, da qual os seus filhos não podem sair. Na intenção de proteger acabam super protegendo. Todo pai e mãe devem ficar atentos ao seu estilo de educação e freqüentemente devem analisá-la, pois, muitas vezes, sutilmente ou às vezes sem perceber, cometem esse erro.  

 Pais que criam seus filhos como numa “bolha de proteção”, acabam gerando pessoas que não sabem lidar com o mundo com suas próprias decisões e, por isso mesmo, acabam se perdendo porque não sabem lidar sozinhas com suas escolhas. E são muitas vezes eternamente dependentes dos pais, e tem muitos conflitos e crises nos momentos de decisões importantes da vida. Alguns chegam a perder namoros, casamentos, empregos ótimos e ministérios por causa disso.

É importante que todo pai saiba que não existe super proteção para sempre e nenhum filho é para sempre. Os filhos um dia terão que seguir a vida de uma forma saudável ou não. A autora do texto “superproteção”, Ester Carrenho diz: “Os pais precisam saber que sua função tem começo e fim. Há um momento em que a responsabilidade pelas escolhas da vida deve cair sobre os ombros dos filhos”. Lembre-se: cuidado, não é super proteção. Zelo pelos filhos é diferente de fazer tudo pelos filhos. Carinho e afeto não são colocar “debaixo das asas para sempre”. Amor não é domínio ou manipulação. Aos pais cabe entender o que a Bíblia diz em Lamentações 3:27: “ Bom para a pessoa começar a desenvolver responsabilidades desde a sua Mocidade”.



3 comentários:

  1. Muito bom belo blog, boa postagem.
    Que o Senhor nosso Deus venha te abençoar ainda mais.

    ResponderExcluir
  2. Bruno,que Deus te abençoe cada vez mais pelos seu posts e que ele ilumine sua vida.

    Rafaela 12 Anos da Rede de Adolescentes.

    ResponderExcluir
  3. é verdade Pastor, temos que vigiar mas a este respeito. um grande abraço

    ResponderExcluir