6 de abril de 2018

Morte, ressurreição, vida e salvação


Atualmente, o real sentido de algumas datas comemorativas tem sido deixado de lado. Momentos tão especiais como o Natal, Dia dos Pais, Dia das Mães e a Páscoa têm sido ofuscados pelo consumismo, secularismo, distanciamento de Deus, dos valores da Bíblia e da família.
Infelizmente, por vermos essa realidade na frente dos nossos olhos e não nos conformarmos com valores tão diferentes do que é o verdadeiro sentido dessas datas, como a Páscoa, muitos de nós cristãos abandonaram a comemoração e a lembrança dessas festas.
Mas não dever ser assim. O cristão, mais do que ninguém, deve ser aquele que não abandona o significado real de uma festa tão cristã como a Páscoa nem se entrega de bandeja ao consumismo e a tantas outras coisas que tentam tirar o foco do verdadeiro sentido dessa celebração.
Mas o que é a páscoa?
A palavra Páscoa vem do hebraico “Pesha”, que significa “passar por cima” ou “saída”. No Antigo Testamente, começa a ser entendida com a última praga: a morte dos primogênitos (Ex 11, 4,5), na qual Deus pediu para que um cordeiro perfeito fosse morto. O sangue desse animal deveria ser passado nos umbrais de cada porta, para que o anjo da morte não entrasse na casa dos hebreus (Ex 12.1-14). Portanto, para que os primogênitos pudessem ser salvos, o cordeiro deveria ser morto. Além disso, também significa a saída do Egito e a libertação do povo de Deus da escravidão.
O Novo Testamento também aborda muito sobre a páscoa. Em João 1.29, diz: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Portanto a festa que, até então, era somente judaica é ampliada e mostra que o Cordeiro perfeito (Jesus) morreu pelos nossos pecados para que nós pudéssemos ser salvos.
Outro texto na Bíblia é o da última ceia celebrada por Cristo, em Lucas 22.14-23, antes da Sua morte. Ele usou a Páscoa, uma data tão significativa para os judeus, para ensinar para os discípulos sobre a Sua morte e ressurreição, que é a nossa Páscoa.
Portanto, diante de todo esse entendimento, quero desafiar e estimular todos os cristãos a comemorar, festejar, lembrar-se da Páscoa, pois através da morte e ressurreição do Cordeiro fomos salvos e libertos da morte eterna. Quando lembramos e refletimos sobre a Páscoa, testemunhamos e agradecemos pelo amor que recebemos gratuitamente.

 * Este texto também pode ser lido no Portal Lagoinha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou do tema? Comente!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.